terça-feira, 24 de dezembro de 2013




Aproveitar a minha árvore preferida (as bolas são velas) para desejar a todos um natal espectacular (em casa que isto hoje sair à rua é masoquismo) muito quentinho e muito docinho  e agora está na hora de ir fazer bolos 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Criminoso.

Numa escola deste país aconteceu hoje algo que me chocou. Não é que uma pessoa não espere já que isto não aconteça, todos sabemos que sim, mas custa na mesma.
Uma criança considerada desfavorecida, de 9 anos, surdo, com pais que não se importam e que não aparecem na escola seja porque razão for, deve ser uma prioridade. Se a consideram uma situação de risco logo à partida como podem ser tão negligentes?
Pois que querem que o miúdo marque sozinho as suas senhas para o almoço. Como sabem que ele não o vai fazer há uma pessoa que fica responsável de o ajudar a marcar as senhas. Não é preciso muito, ele tem escalão A portanto não paga, é mesmo só uma questão de ir lá com ele e marcá-las. Aqui esta a primeira coisa que não entendo, se ele tem escalão A e não paga e sabem que aquela é de certeza a única verdadeira refeição que vai ter porque é que não existe uma forma de contornarem o sistema e lhas marcarem logo para o ano todo? Dizem que não é possível, ok mas então ajudem-no a fazer isso. Mas deram-lhe um cartão e como qualquer miúdo da idade dele ele perdeu-o. Acusaram logo os pais de terem ficado com ele, porque até é uma coisa que lhes faz muita falta mas pronto.
Ameaçam-no que se ele não levar o cartão mais os 0,30 cêntimos de multa não vai ter almoço. O miúdo lá trouxe o cartão mas como é óbvio os pais não lhe deram o dinheiro. Qual é a decisão que tomam? Não lhe dar almoço. 
Por 0,30€ uma criança vê negada o almoço. Tudo porque algumas pessoas acham que regras são regras e que as pessoas têm que aprender seja de que forma for. Queriam castigar os pais. Os pais? Era o miúdo que ia passar fome. 
Entretanto algumas funcionárias disseram que não se importavam de pagar os 0,30€ mas que tinham medo de ao fazê-lo estarem a passar por cima das ordens e portanto não o fizeram. 
Estava combinado que o menino não ia passar fome por às 14h30 quando o bar abrisse iam lá comprar-lhe uma sandes e um leite. Mas isso é mais caro que a porcaria da multa por não ter marcado a senha a tempo!
Uma vergonha. Ás tantas alguém achou que pelo menos uma sopa podiam-lhe dar, sobra sempre sopa nas escolas. O menino lá comeu uma sopa e um pão que um amigo dispensou do seu almoço e ficou então à espera da tal sandes e do leite. Tudo em prol das burocracias deste país.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Thank good your are back.


Juro, não há série que me deixe a ansiar pelo próximo episódio. Argumento de génio, suspense de mestre. Uma série para todos.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Este regresso ao trabalho está ser muito engraçado, parece que ando na escola com explicadoras privadas e ainda me pagam para isso. Tomara haverem mais empresas assim. Neste país em que só se sabe falar no negativo, é bom saber que ainda existe boas excepções. 

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Juro.

Depois de quase um ano num trabalho em que se está sempre em pé, já não sei passar o dia a trabalhar sentada.
Sim, mudei de trabalho. Já não esperava nada. Finalmente tinha aceitado o emprego que tinha, passei meses a resistir à entrega total, mas ninguém é de ferro e decidi que estava na hora de dar o melhor de mim ali pelo tempo que fosse preciso. Há 1 mês atrás o telefone tocou. Parece que o esforço afinal ainda recompensa. O último sítio em que trabalhei queria que voltasse. Fui à reunião, falei com a chefe, e decidi que mesmo com um prazo de validade é melhor arriscar que ficar à espera.
Acho que aquele telefonema foi um abanão. Enquanto tivesse trabalho não ia arriscar porque tinha aquela segurança, se daqui a uns meses tiver que sair outra vez da empresa, é porque é hora de arriscar outra vez. O mundo não acaba. 
Voltei há três dias, nunca tinha voltado a um sitio onde já tinha trabalhado. Foi estranho, mas bom. 
O meu corpo é que não está a gostar nadinha. É que passar de sempre em pé a sempre sentada é um grande choque para o meu corpo. Finalmente a chuva deu tréguas e fui fazer um caminhada a ver se o corpo volta ao sitio, mesmo com lama por todo o lado, as minhas costas e as minhas pernas agradecem e muito.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

E então, isto é arte?

http://vimeo.com/62237213#

E se a arte é suposto por-nos a pensar, eu só tenho um reparo: a julgar pelo tempo de duração e pelo à vontade da coisa, estas pessoas não foram à casa de banho o dia todo, é que com audiência assim eu nunca conseguiria fazer nem três pinguinhos. 
E uma salva de palmas às pessoas que estão ali 5 minutos a ver outras pessoas urinarem e que no fim ainda aplaudem e assobiam todas entusiasmadas, foi realmente um momento bonito e tocante, sem dúvida.

sábado, 17 de agosto de 2013

Entretanto... O que pode acontecer quando se trabalha no feriado.

já lá vai o tempo em que o feriado era sinónimo de coisas fechadas, pelo que as famílias pegavam em si e iam para a praia. Agora são mais comerciais e por isso decidem fechar-se nos centros comerciais, pelo que por volta das 15h as lojas estão à pinha. Isto tudo para perceberem o que vos vou relatar a seguir. 
Pois que eu tinha acabado de voltar da minha hora de almoço, quando nos entra um pai disparado pela loja a dizer que nós tínhamos de fazer qualquer coisa para ajudar a filha dele, quando se vira a miúda de 19 anos que vinha pendurada entre os pais desmaia entre eles. Uma das minhas colegas corre para chamar o segurança, como manda o protocolo, e aparecem logo três. Um deles começa a ver-lhe os sinais vitais o outro liga para 112, colocam a chamada em espera, o normal nos dias que correm. Começa a tocar pela loja uma música pimba muitíssimo alta, do telemóvel de um cliente que andava pela loja sem querer saber do assunto.
A mãe decide que a melhor forma de manter a miúda acordada é começar a esfregá-la com álcool o que a põe a gritar desenfreadamente. O INEM diz que vai enviar uma ambulância. Os clientes começam a fazer fila ao balcão, para uns o facto de estar ali uma miúda semi-inconsciente mesmo ao lado deles é-lhes completamente indiferente só querem que os despachemos, para outros o importante é saberem tudo o que aconteceu ao pormenor ("É vossa colega?", "Não", "Mas tem uma bata das vossas.", "Sim ela queixou-se com frio e a única coisa que temos é as batas por isso foi o que lhe demos.", "Mas o que é que aconteceu? Porque é que ela está assim?"). Houve ainda aqueles que tinham todo um conjunto de opiniões sobre o que se deve fazer sendo que tudo o que estava a ser feito era claramente errado e nós só estávamos a tentar matar a criança ("Não lhe dêem água que ela sufoca!" "Ninguém lhe está a dar água, o segurança está só a molhar as mãos e a passá-la nos braços e testa para ela não adormecer.", "Ela devia ter as pernas elevadas.", "Não temos onde as por.", "Ela devia estar sentada numa cadeira.", "Só temos uma cadeira e tem rodas se a colocarmos lá ela vai cair, não tem estabilidade").
De 10 em 10 minutos o segurança voltava a ligar para o 112 a tentar perceber porque é que a ambulância nunca mais chegava, tendo em conta que o hospital fica a 5 minutos de distância, estava sempre a caminho, mas nunca mais chegava. 
À boa maneira portuguesa todos se interessam muito por desastres, portanto como nos acidentes automóveis, as pessoas que andavam pelo shopping abrandavam  o passo e juntavam-se do lado de fora a ver, mas há sempre os mais ousados que decidiam entrar meter-se literalmente em cima da miúda para a ver bem e depois darem meia volta e saírem sem dizer uma palavra. 
Como a mãe nos contou que a rapariga estava com o período e não tinha almoçado, nós calculamos que com o calor as defesas não tivessem resistido e fosse um caso normal de falta de açúcar no sangue. Estávamos a comentar  isto quando a mãe se vira para a outra filha e a manda ir comprar um bolo para a irmã. Explicámos-lhe que ela não lhe podia dar o bolo mas ela não quis saber da nossa opinião para nada. Tentou forçar a miúda a comer o bolo, mas como é óbvio ela voltou a gritar e chorar porque não o queria.
Chegou um rapaz da manutenção para ajudar, vira-se para mim e pede-me uma toalha ou um cobertor, eu fiquei a olhar para ele a pensar se ele achava realmente que nós tínhamos alguma dessas coisas naquela loja, e se acima de tudo pensava que tendo não lhas teríamos já dado.
Então uma cliente faz-me passar por cima da miúda porque acha que aquele é o melhor momento para reclamar com o facto da campanha que tivemos em loja durante o mês passado, ter acabado. por mais que eu lhe explica-se que as campanhas têm um prazo e que aquela já tinha acabado há 3 semanas ela não se conformava. Depois decidiu reclamar com o facto de nós já não termos os sacos que a marca ofereceu este ano, pelo que a empresa decidiu começar a oferecer os que sobraram do ano anterior. tudo isto com os gritos e choro da miúda a meio metro de nós. Uma jóia.
O telefone toca, vou atender, era da central de segurança, precisavam de preencher a burocracia relativa ao incidente pelo que me fizeram ir ter com o pai para lhe pedir os dados. Uma delicadeza sem igual.
Ao fim de 40 minutos chegaram os bombeiros, finalmente a rapariga foi para o hospital. Se fosse para morrer bem podia ter morrido. 
No fim de saírem todos, chegou uma senhora:
"Mas onde é que está a miúda?"
"Foi para o hospital."
"Mas quem é que a levou?"
Ficámos com a impressão que ela achava que nós a tínhamos raptado ou atirado para algum alçapão escondido, mas acabámos melhor nem responder. 
Há dias em que uma pessoa se questiona sobre onde é que as pessoas guardaram a humanidade, se é só insensibilidade, ou se estão todos demasiado ocupados para se colocar na pele dos outros.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

5 anos.

Tão estranho pensar que já passaram 5 anos desde que me disseste que não podíamos ser "amigos coloridos" para sempre. Por um lado parece que ainda não passou nem metade do tempo, por outro é uma sensação de familiaridade tão grande que é como se sempre tivesses estado comigo. Bolas nem há palavras para descrever, sorrisos, lágrimas, abracinhos e discussões, e tudo demasiado grande, mas garanto-te que não te trocava.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Coisas giras que se ouvem quando se está ao balcão:

1. "Tem baldes de creme?"

2. "Mãe devias levar este creme para fazeres massagens."
(Era uma menina de para aí 8 anos e tinha uma embalagem de lubrificante na mão).

3. "Eu não sei se isto é para rir, mas eu comecei a tomar aquilo e já passaram duas semanas e não está a passar."
(É para rir sim, porque não disse o que estava a tomar, nem o que é que não passa).

4. "Onde é que têm o creme descolorante?"
- "Não temos."
- "Não? Mas na lógica de cosmética lá de baixo disseram que vocês tinham."
- "Mas nós não temos. Nunca tivemos."
- "De certeza? Estou achar isso muito estranho. Elas disseram que vocês tinham."
(É sabido que as pessoas que trabalham noutras lojas é que sabem com toda a certeza o que nós temos ou não. Quem lá trabalha é que não sabe com toda a certeza).

5. "Desiderare olio Jonshon's."
- "Não temos. Só no supermercado."
- "Perché non? È universale."
- "Porque é uma marca de supermercado só eles é que têm."
- "Ma perché?"
(Uma insistência imensa que me leva a mandá-lo descer e ir ao supermercado comprar o raio do óleo).

6. "Posso ver aquele verniz?"
- "Pode. Mas vou pedir-lhe que não o abra porque depois se não o quiser ele vai secar."
- "Ah sim sim. Claro."
(Assim que o tem na mão abre-o).
- "Eu disse para não abrir".
- "Ah disse? não percebi".

7. "Quero ver os protectores solares da Yves Rocher."
- "Nós não vendemos essa marca."
- "Mas está ali."
- "Ali só temos a Roc e a La Roche Posay. Era a La Roche Posay que queria?"
- "Sim sim. A Yves Rocher."

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Bom. Bom.

Fui o mês passado ao Dolce Vita Tejo com uma amiga, numa de desanuviar um bocado e comprar umas coisas que me faziam falta. 
Tenho a mania de experimentar todos os chapéus e óculos de sol que apanho, o primeiro chapéu que experimentei na Primark teve a sorte de vir comigo para casa, mas uns óculos que experimentei na Springfield não tiveram o mesmo destino. Adorei-os imenso mas, como estava um bocado limitada em termos económicos e queria muito ir buscar umas calças que tinha experimentado na Zara, não os trouxe.  Até fiquei com o coração apertadito a pensar neles.
Mas tenho para mim que as coisas boas por vezes ainda acontecem, porque a minha mãe lembrou-se de ir ao Bombarral e pelo caminho achou que bom bom era darmos um salto ao Arena Shopping em Torres Vedras, eu como estava cheia de fome disse logo que sim. Fui-me encher à Pizza Hut e no fim como quem não quer a coisa entrei na Springfield, surpresa das surpresa eles tinham um par dos óculos que eu queria e a boa parte é que eles custavam 17, 99€, mas entretanto tinham baixado para os 9,99€ e agora já iam nos 6,99€. Adorei. Desta vez não os deixei lá como é óbvio e agora vamos ser muito felizes os dois!


Apercebi-me agora que os pobres coitados parecem cor-de-rosa na fotografia mas são mesmo laranja.

domingo, 14 de julho de 2013

Li.

Desta vez, deu-me para ler um dos maiores clássicos da literatura americana, The Great Gatsby. Acabei o livro sem perceber muito bem o porquê. É um bocado básico e altamente previsível. Lê-se bem, é giro, mas no fim de tudo o mais impressionante é ele ter sido escrito na década de 20, e se pensarmos nos livros que eram escritos por essa altura em Portugal, convenhamos que este é muito mais fácil. 


Acho que a "A coleccionadora de sonhos" que já partilhei aqui faz um bom resumo da história do livro e é muito mais giro de se ler. Mas isto sou eu.

sábado, 13 de julho de 2013

Lunch.


Continuamos numa onda de peixe, mas desta vez acrescentei uns camarões e comemos com batatas fritas que era coisa que já não era feita nesta casa há uns 4 meses.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

O que pode acontecer quando se vai ao cinema. A sério? A sério. Muito a sério.

A minha mãe disse que me pagava o bilhete de cinema se eu leva-se o meu irmão comigo, por mim tudo óptimo pegou nele e fomos.
Quando chegamos reparei que estava um lugar vago ao nosso lado e, como eles nunca deixam aqueles lugares livres, pensei logo que devia ser para alguém que ia sozinho. Nunca percebi muito bem as pessoas que vão sozinhas ao cinema mas tudo bem, quem sou eu para julgar. Depois de contar esta história acho que vou conquistar esse direito mas isso é outra questão.
Passado um bocado, chegou uma senhora que disse que aquele lugar era o dela mas que não se ia sentar ali para nos deixar namorar à vontade (só para esclarecer, eu vou fazer 24 anos e o meu irmão tem 15, a diferença de idades é bastante perceptível  e somos muito parecidos), mas nem ligamos. Só que o casal que tinha o bilhete do lugar que ela ocupou chegou entretanto e ela levanta-se e começa a falar bastante alto para toda a gente ouvir:
- Ah peço imensa desculpa por estar no seu lugar. - Levanta-se e continua - eu só me vim sentar aqui para deixar ali o casalinho namorar à vontade sem eu os perturbar. Sabem como é, uma pessoa até se sente mal. - Senta-se ao nosso lado e diz - Vocês desculpem lá eu estar a sentar-me aqui mas vocês viram que eu tentei ir para outro lado mas vou mesmo ter que ficar aqui.
E o meu irmão que não é nada destas coisas, já estava a ficar um bocado farto, de ela andar para ali às voltas sempre com a mesma conversa, disse-lhe que nós éramos irmãos, ao que ela responde:
- E então? Podem namorar à mesma. Não são amigos? Os irmãos podem namorar como quiserem. 
Espeta-nos com o seu balde de pipocas à frente dos nossos narizes:
- Querem pipocas?
Agradecemos, mas recusamos, e decidimos que era melhor ignorá-la, mas a senhora claramente queria conversa.
- A sala hoje está com muita gente. Venho cá no inverno e não está ninguém agora é isto.
E eu até me dei ao trabalho de lhe responder que isso também variava conforme os filmes, mas como ela é que era a entendida não se calou:
- Não, não, que eu venho cá todas as segundas-feiras e eu sei bem como é que isto é. Venho sempre ver filmes que já toda a gente viu precisamente para não ter muita gente, só vejo os mais procurados quando já vi os outros todos e não tenho alternativa. Eu hoje até vinha era ver o do Jonny Depp mas afinal ainda não está cá, e pronto tive que vir ver este. Também já vi..... (E continuou a falar sozinha imenso tempo, sem resposta até que o filme começou e teve que se calar).
O meu irmão que ficou desconfortável com aquela situação não parou de se mexer na cadeira o tempo todo sempre com imenso medo de lhe tocar não fosse ela achar que era uma forma de meter conversa. No intervalo perguntei se ele queria que eu me senta-se na cadeira do meu lado que estava vaga para ele ter mais espaço e ele levanta-se logo e diz que quer ele ir para lá. 
A senhora quando o viu mudar de cadeira achou por bem levantar-se e sair da sala para não mais voltar.
Claramente vai todas as segundas-feiras ao cinema para fazer amigos, se não consegue desiste e vai-se embora. Ele há com cada coisa.

Filme do dia: WWZ - Guerra Mundial

Pois que fui até ao cinema ver um dos filmes mais aguardados do ano e gostei.
Não é o filme do século nem coisa que se pareça, mas é um filme de acção digno desse nome. Ando um bocado farta da quantidade absurda de filmes que se dizem de acção mas que depois vai-se a ver e quase deu para adormecer três vezes pelo meio, é 20 minutos a fazer o ponto de situação, 5 minutos de explosões e carros a partir e mais uma hora de conversa fiada, para terminar com 15 minutos de perseguições e quase morte, a sério já não há pachorra.
WWZ não tem esse problema, quando começa já a comunicação social está a divulgar a existência do vírus noutros países, ao fim de 5 minutos de filme já há pessoas infectadas nos EUA, e a partir daqui é sempre a lutar pela sobrevivência. 
Não se assustem aqueles que não vêm Walking Dead por causa da caracterização dos zombies, estes não têm nada haver. São mais rápidos e muito mais fortes mas não estão em decomposição, e a maior parte das vezes em que aparecem vêm tão rápido que mal lhes conseguimos ver a cara. 
De resto, a história é bastante básica, as pessoas estão a ser contaminadas pelo mundo todo e o nosso amigo Brad Pitt é enviado numa expedição à procura do inicio do vírus de forma a conseguirem uma cura. 



quinta-feira, 4 de julho de 2013

Volume dois? check.


Tenho que ser justa e admitir que não me prendeu tanto como o primeiro. Acabei por sentir o mesmo que quando via a série, apesar de estar muita coisa a acontecer parece que há ali um ponto de paragem em que nada acontece realmente. os episódios que prendem acabam por ser breves e escassos. Fora isso, é o avanço necessário para o próximo e não deixa de valer muito a pena. Há mais detalhes do que na série e as cenas de guerra não são cortadas nem semi aldrabadas.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

domingo, 30 de junho de 2013

É isto.

Depois de ver as séries da Shonda Rimes, chego à seguinte conclusão:

Se não andas de elevador nunca terás namorado.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

O bom do verão.

Já começo a bronzear, o que significa que a celulite já está a ser mascarada pela cor. GOSTO!

segunda-feira, 24 de junho de 2013

É mais ou menos isto:

Se chegas à praia e está um vento e frio que não se aguenta, dás meia volta e vais para a piscina.
Não tens piscina? Esquece lá o verão 2013.

sábado, 15 de junho de 2013

Se pensas que cospes mentiras e acusações e fica tudo bem... Estás muito enganado. 
Nem eu tenho paciência, nem o meu orgulho está para aí virado.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O melhor do mundo é ter amigos que estão em sintonia connosco, que nos acompanham nos saltos, nos risos, nas lágrimas, nas loucuras,...

Dia bom.

domingo, 9 de junho de 2013

Recomendo vivamente.

Há cerca de dois anos atrás, estava eu a ver um programa de stand-up comedy na RTP1 quando surgiu a Marta Gautier, escusado será dizer que rebolei a rir com aquele  lugar comum que todos nós vivemos. No ano passado a peça "Vamos lá entender as mulheres... Mas só um bocadinho." subiu aos palcos e encheu plateias, mas não tive a oportunidade de ver. Quando na quinta-feira descubri que a peça andava em digreção nacional e que seria apresentada por estas bandas no sábado nem pensei duas vezes.



Ao fim de 1h45 de pura comédia, saí de lá com as bochechas a doer de tanto rir. Há espectáculos que valem a pena ver e este é em dúvida m deles.

Para quem não conhece, fica aqui um bocadinho:
https://www.youtube.com/watch?v=nJvfUUrq3wA

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Adorei!!!

Esta semana li o primeiro volume da colecção do George R.R. Martin, As Crónicas de Gelo e Fogo, Guerra dos Tronos, e tenho a dizer que é genial.
Já há algum tempo que queria ler os livros mas ainda não me tinha decidido a avançar. Entretanto, com o começo da terceira temporada da série, apercebi-me de que me tinha esquecido de uma boa parte da história o que me estava a dificultar um bocado a visualização desta.
O problema é que o primeiro volume estava sempre requisitado na biblioteca e já há dois meses que de cada vez que lá ía havia sempre alguém que tinha chegado antes de mim. Na semana passada, fui até à parteleira da colecção ver se ele lá estava, como costume nem sinal dele, peguei noutro livro e quando o ia requisitar apercebi-me de que alguém o tinha acabado de entregar. Perguntei logo se o podia levar e tive a resposta "Pode. Mas só se tiver cartão da biblioteca." Achei uma boa nota porque as pessoas até levam os livros assim à toa mas nem respondi. Peguei nele, trouxe-o para casa e fomos os dois felizes por umas horas.
No final do primeiro volume tenho a dizer que prefiro os livros, sim adoro a série, mas há ali episódeos em que a coisa não ata nem desata e parece que pararam a cena. Nos livros nunca tive essa percepção. Está sempre qualquer coisa a acontecer e a escrita é altamente cativante. No fim de tudo o mais estranho é mesmo a tradução dos nomes. 
Escusado será dizer que hoje já fui buscar o segundo volume. Já se sabe que nestas coisas não se pode parar.


sábado, 1 de junho de 2013

terça-feira, 28 de maio de 2013

Lunch time.

Este mês pediram-me para ajudar noutra loja, e como consequência tive uma mudânça no horário que me faz almoçar às 11h da manhã. Como é óbvio não consigo fazer verdadeiras refeições a esta hora e portanto este tem sido o meu almoço nestas semanas.



Pão com qualquer coisa diferente, queijo, fiambre e manteig, marmelada, ..., uma peça de fruta e um iogurte. Acabo com o café e 3 bolachas e estou pronta para o trabalho.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

1600 penn.




Que bela forma de começar os dias, tomar o pequeno-almoço e rir com o ridículo.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Dá que pensar...

Nos últimos 80 anos, houveram em Portugal 87 tornados, em média nos EUA acontecem mais de 1500 tornados por ano. e ainda nos queixamos.

sábado, 18 de maio de 2013

Estou em dúvida.

Clientes que dizem que não têm cartão de cliente, porque ter descontos não lhes faz diferença, porque ainda não sentiram a crise de forma  nenhuma, devem ser abatidos ou ver os pés a serem-lhes beijados?

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Em anos anteriores, 17 de Maio, seria dia de ir para a praia ou de ficar a deprimir porque estava tanto calor e eu não podia ir. Em 2013, neva na Serra da Estrela e agora a sério, 13 graus para a costa? 13? Mas porquê, porquê, porquê?
O planeta rodou, estamos na Sibéria e ninguém me avisou....

domingo, 12 de maio de 2013

Pequenos mimos...

Entretanto o meu armário cresceu mais um pouquinho...


Estas pequenas vêm substituir as minhas all star azuis que se rasgaram coitadas.


Já a fita dá-me um jeitaço no trabalho, menos cabelo nos olhos a cada 5 minutos, além de animar o visual.


Esta menina foi estrear-se ao concerto do Richie Campbell, por sinal não lhe achava piada nenhuma mas ao vivo dá um espectáculo bastante bom.


Há imenso tempo que andava à procura de uma camisola destas de renda que deixam ver tudo, mas queria algo com uma renda mais fechada e que já que mostra as costas não me deixa-se metade das mamas à mostra. Esta t-shirt é simplesmente perfeita para o efeito. 


sábado, 11 de maio de 2013

A ler...

Depois de acabar o livro da maluca, ando a ler o livro das bimbas.


Nunca fui grande fã de "O Sexo e a Cidade" mas estou a ahar imensa piada a estas "4 Loiras" da Candance Bushnell. Como são quatro histórias, independentes entre si, dentro de um só livro, é super rápido de se ler e é super descontraído.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Melhores amigas compram coisas iguais...

(armando-se, assim, em parolas) e vão comer gelado para o Mc Donald's enqunto fazem relatos e confidencias sobre a vida.


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Acabo de ler o livro, só para descobrir que a rapariga era louca e estava internada no manicómio. Está bem.

domingo, 28 de abril de 2013

Hoje tenho 1 episódeo novo para ver de Revolution, 90210, Arrow e Hannibal, yeeeeiiiiiiii!!!!!!

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Problemas rurais passo-a-passo (espero mesmo que isto não acontece na cidade).

1. Vou ao quarto buscar o computador.
2. Olho para a rua pela janela (costumo ter uma vista bonita e relaxante).
3. Uma vizinha idosa (com muita idade para ter juízo, mas pelos vistos bastante mais para não ter pudor) caminha pela sua horta, enquanto puxa a camisola para cima.
4. Chega ao pé de uma árvore, puxa as calças para baixo, e começa a fazer as suas necessidades.
5. Retiro-me do quarto para não ver mais. 
6. Volto ao quarto para ir buscar o computador (não o consegui levar da primeira vez, por razões óbvias) a senhora ainda está a puxar as calças para cima, nesta altura constacto que o marido esteve o tempo todo a observar a situação encostado a enxada.
7. Partilhar esta história no bloggue numa tentativa de catarse da visão e como forma terapeutica...

Só queria salientar, que a casa-de-banho da senhora, fica aí a uns 15 metros do local do crime. Não foi própriamente um problema de não existir uma estrutura próxima.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Ler mais. Muito mais.

Desde miúda que me considero uma devoradora de livros. Nos últimos anos tem sido o oito ou oitenta. Ou bem que leio desenfreadamente ou entro em cilibato e não toco numa página. em 2013 decidi que vou tentar contrariar esta situação. Um livro por mês é o normal das pessoas e eu vou tentar fazer o mesmo. Chegamos a Abril e parece que aqui a miúda está a cumprir o que prometeu. Tendo em conta que nunca cumpro as resoluções de ano novo... Vamos ver.

Em Janeiro li "A Herança Bolena", da Philippa Gregory, que minha mãe me tinha oferecido no natal 2011 e que já andava a rebolar comigo há uns quatro meses.


Não foi de longe o meu favorito dela, mas a partir do meio a história começa a acelarar e torna-se muito mais interessante.

Em fevereiro, meteu-se a "Infecção", de Scott Sigler, um livro que encontrei nos saldos da Bertrand por 3.50€.


Não me costumo atirar muito aos livros de ficção ciêntifica e o principal problema é que se tornam extremante previsiveis. Fora isso, são 450 páginas que se leêm num instante e é super acessível na linguagem o no conceito.

Como a infecção acabou em duas semanas, comecei "Catarina de Aragão, a Princesa Determinada", também da Philippa Gregory.


Deu para matar saudades das "Duas Irmãs, um rei", o melhor livro da Philippa que já li. Claramente este é o período e estas são as personalidades de que ela gosta realmente de escrever. A história é sempre mais real, mais fluída e devora-se cada página como se não houvesse amanhã. 

Três semanas depois, já em estávamos em março, e comecei "O ladrão de arte", de Noah Charney.


E até agora foi o que me empatou mais. Tem demasiados personagens e a certa altura a aula de história de arte é massuda demais, o desenrolar acabou por ser demasiado presivivel. 

Acabei já em abril, e agora vou começar "A colecionadora de ilusões" de Chris Bohjalian.


Desafio 2013, aceite e a ser cumprido com fulgor.

segunda-feira, 25 de março de 2013

O engate em 2013.

Este sábado fui sair e constatei que estava extremamente desatualizada no que toca à arte do engatatão.
Se me parti a rir quando chegou o Gustavo, que nos gostava de conhecer. 
Achei muito mais piada ao barman que não podendo dar alcóol à rapariga, porque ela ia conduzir, decide começar a dar.lhe garrafas de água. Uma coisa é certa, se tivesse acontecido alguma coisa ela não podia alegar que ele a tinha embebedado. 
Mas a melhor para mim, foi um indivídio que à falta de melhor, pegou no telemével foi ao google tradutor e mostrou a seguinte mensagem: "Sou da Bélgica, você não quer tirar  uma foto para o meu facebook?". Ahahah ao ponto que isto já chegou. Google: a nova arma de sedução.

domingo, 10 de março de 2013

Preservativos e afins, conselhos úteis, ou não...

Definitivamente existem conversas que nunca deviam ser tornadas públicas ;p

Pois que o representante de uma marca de preservativos e de uma marca de higiéne de bébé, bastante conhecidas por sinal, chega à loja. (Sempre achei imensa piada que a mesma empresa que promove o controle de natalidade benefície depois com a chegada dos bebés. Leva-me a pensar até que ponto a prevenção é assim tão eficaz, mas teorias à parte...) As minhas colegas começaram a fazer uma festa com a chegada dele porque já sabem que a conversa vai sempre descambar. 
Ele chega começa a fazer uma série de perguntas sobre os hábitos dos clientes no que toca à compra de preservativos e lurificantes...
(Ter em conta que esta conversa decorreu com vários clientes na loja).

Colega 1 - Diga-me uma coisa, afinal existem, ou não, preservativos tamanho XS?
Representante (extremamente indignado) - XS? Para quê? Claro que não.
Colega 1 - No outro dia veio cá uma chinesa e pediu-me preservativos XS. Parece que a teoria dos chineses sempre tem fundamento...
Representante - Mas não há desse tamanho. O que vocês podem aconselhar são os de pêssego. Podem vender esses porque aquilo aperta muito. Até hoje, foram os que eu gostei menos de usar. Senti-me muito apertado.
Colega 2 - Olha os de pêssego é que se calhar dão para comer. Quando sairam aqueles com vários sabores de fruta da outra marca, veio cá um senhor pedir uma caixa e perguntou como é que aquilo se tomava. eu fiquei a olhar para ele enquanto ele a insistia que aquilo se tomava, para melhorar a performance sexual e aumentar o prazer...
Eu - Devias ter-lhe explicado que a toma talvez fosse damasiado difícil. E que havia uma forte proabilidade de ele ir parar ao hospital por asfixia...
Representante - Mas os nossos podem-se comer.
Nós - Podem? Como assim?
Representante - É assim os natura não aconselho porque sabem mal. Agora os de sabores estão à vontade para comer. Agora off the record tenho um conselho a dar-vos. Atenção ao de chocolate, seja qual for o sitio em que o coloquem, seja nas mãos, seja nas partes, no que for, o cheiro não passa durante dois dias. E depois se não o usarem com quem deviam vão ser facilmente apanhados. (Ele estava a falar dos lubrificantes).

sexta-feira, 1 de março de 2013

Filme do dia: Hobbit: uma viagem inesperada.

Começo por avisar: não gosto de Senhor dos Anéis. Consigo ver, mas não fico satisfeita. Aquela história toda dos aneis mágicos, que transformam as pessoas em más e egoístas, e  toda a saga para os destruir, porque também não podem ser desfeitos de qualquer maneira, e blá blá blá não me diz nada.
Por isso, quando digo que até que gostei de ver o Hobbit é um enorme elogio. Mas é verdade.Consigo relacionar-me muito melhor com a história dos anões que ficam sem reino e que o tentam recuperar.
O primeiro filme, recai então sobre a viagem que tem de ser feita até chegarem ao reino perdido. Com o pequeno Hobbit a juntar-se aos anões, nesta lut contra ogres e outras criaturas muito muito estranhas, uma delas a lembrar uma mistura entre um Voldemorte e um avatar.


Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=JTSoD4BBCJc

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Filme do dia: Bestas do sul selvagem.

Assim de repente, absolutamente fantástico.
É uma história sobre aquilo de que somos feitos. O nosso estado mais selvagem. Se queremos sobreviver na natureza temos de voltar a encontrar a "besta" que há em nós. Não é a besta no sentido negativo, mas sim no sentido de negar o polido do ser humano e procurar os instintos mais básicos, seguir a nossa natureza.
Quando uma catástrofe natural destrói a sua aldeia, Hushpuppy, uma miúda de seis anos, e os restantes sobreviventes tem de encontrar uma forma de continuar a sua vida.
Quvenzhané Wallis, foi nomeada para o óscar de melhor atriz pelo seu trabalho extraordinário neste filme, e convinhamos, a miúda foi brilhante. 


Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=uJykmczHPlg

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Ontem passamos a tarde aqui e foi tão bom... Estar na praia no inverno torna-se muito mais recompensador que no verão. São tantos dias cinzentos que o sol de inverno anima muito mais e tem um poder de relaxamento e de recarregar baterias impressionante. Obrigada H.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Filme do dia: The impossible.

Meus deus, que filme!
Tenho que começar assim, porque há muito tempo que não via um filme que me marcasse tanto como este, e vai assim directamente para o top das minhas preferencias.
The impossible conta-nos, não, mostra-nos, a história de uma família que viveu o tsunami de 2004. A história por si só é incrivel e as imagens e a realização conseguem levá-la muito mais longe. 
Devo avisar que a primeira parte torna-se bastante impressionante a nível visual e que se têm estômagos sensíveis talvez não seja a melhor forma de os manter a salvo. Mas é absolutamente fantástico. Quando nos pomos na pele daquelas pessoas e pensamos em como nunca sabemos o que o futuro nos reserva então difícil é conter as lágrimas.





Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=Bgw394ZKsis

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Hi sales!


Adoro roupa. Adoro mesmo. E apesar de o meu armário ter uma parte substâncial do dinheiro que ganhei ao longo da vida lá investido, isso não significa que gaste muito numa só peça. Muito pelo contrário.
Este ano, para além de umas botas, não precisava de nada em especial, portanto não faço tensões de andar tipo louca nos saldos.

Então consta que logo no primeiro dia encontrei umas botas mesmo como eu queria. Escusado será dizer que tiveram de vir comigo para casa (Celta - 39,90€). 



Tenho a declarar que eu e estas pequenas temos andado a ser felizes juntas e que estou satisfeitíssima com as minhas novas amigas.
Assim que resolvi o meu problema, o meu ataque limita-se a interiores e collants. Eu uso mais vezes vestidos e saias do que calças por isso faz mais sentido investir no que uso mais. 



Até agora a minha missão tem sido bem sucedida. Além disto só comprei umas pantufas (women's secret - 5,95€) que já andava desesperada por encontrar.

 

Um casaco de malha (modalfa - 9€) que andava a namorar há algum tempo.



Uma camisola (stradivarius - 5,95€) para usar por baixo da camisola que me deram no natal.



Um cinto (blanco - 1,99€).



E uma saia (tally weijl - 4,99€) porque me apaixonei e não consegui vir embora sem ela.


Fora isso, não tenho achado que este ano os saldos tenham grande interesse. Acho que as lojas andam a tentar resistir ao máximo em baixar os preços e para mim baixar uma média de 2 a 3 € numa peça não é metê-la em saldo. E desculpem lá mas 10% de desconto também não é saldo, é promoção. É fazer de conta que estão a fazer o descontinho de amigo.


E vocês? Já perderam a cabeça este ano?

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

The Following

Começou na semana passada nos EUA, e não faço ideia quando chegará à televisão portuguesa, mas sei que para já promete. 
A história gira em torno de um serial killer, Carroll (James Purefoy) que escapa da prisão e de um agente do FBI, Hardy, (Kevin Bacon), que o captorou da primeira vez e que o persegue novamente. A diferença entre esta história e tantas outras é que enquanto Carrol esteve na prisão conseguiu criar e manipular um verdadeiro culto de assassinos e agora o seu poder vai muito para além da sua cela na prisão. 
O primeiro episódio revelou-se uma agradável supresa e o futuro da série promete ser muito positivo.





Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=4swu4Ar-NoQ

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Filme do dia: Os Miseráveis

Para começar tenho que confessar que não sou grande apreciadora de musicais. Aquela coisa das personagens andarem sempre a cantar em vez de falarem como pessoas normais aborrece-me e cansa-me, porque sinto sempre que me afasta da história e que me distrai do que realmente está a acontecer.
Por isso, quando digo que gostei realmente deste filme, estou  a dobrar a língua. Mas é verdade. Estava um pouco céptica, duas horas e meia de pessoas a cantarolar era uma ideia que me fez resistir ao máximo mas no final tive que dar a mão à palmatória. A história é muito boa e a densidade das personagens não se perde no musical. Claro que preferia a historia simples e crua mas as interpretações estão muito boas e torna-se uma boa surpresa ver aqueles atores a cantar tão bem. 
Os miseráveis mostram uma França em plena revolução, onde a miséria e a busca pela liberdade vivem lado a lado, enquanto a busca pelos ideais e convições persiste no interior de cada um. é uma história de esperança, mas acima de tudo de seres humanos, simples e profundos como todos nós.


Trailer: 
http://www.youtube.com/watch?v=cy_-hUz9yjs
http://www.youtube.com/watch?v=WeP9_Xn9MfU

domingo, 20 de janeiro de 2013

O meu fim de semana de tempestade.

Tudo começou à 1h da madrugada de sábado, a luz começou a falhar permanentemente. Lembrei-me de ir desligar tudo das tomadas não fossem as falhas acabar por queimar algum aparelho. O meu quarto é o ponto mais a oeste da casa, por isso, não consegui dormir nada a noite toda porque o vento batia nas precianas, no telhado e encontrava-se na esquina da casa. Às cinco da manhã a luz falhou para não mais voltar.
Passavam poucos minutos das 8 horas e eu comecei a ouvir o que me pareciam cadeiras a arrastar, percebi mais tarde que eram telhs do telhado a soltarem-se. A minha mãe entrou no quarto porque o barracão onde guardamos os carros estava a ficar sem telhado. Tinhamos que o tirar antes que começassem a cair coisas em cima deles. O problema era que ao abrir o portão podia entrar mais vento e aí corriamos o risco de o vento fazer includir o telhado. Quando os conseguimos tirar trouxemo-los para o jardim. 
Como continuavamos sem luz, fomos buscar uns jogos de tabuleiro para nos distrairmos, até que ouvimos um estrondo no telhado. Parte do espigão saiu. A partir daí as telhas foram-se soltando umas atrás das outras. 
A electricidade acabou por voltar já passava das 17h, mas às 18h voltamos a ficar sem energia novamente. 
Quando quisemos tirar os carros, não conseguimos porque a chuva fez um lamaçal em todo o lado e eles ficaram atolados.
Hoje, eram 9 da manhã e continuavamos sem electricidade. Quando fomos à rua as outras casas já tinham luz há 2 horas, por isso o problema era nosso. Depois de fazermos vários testes descobrimos que uma parte das tomadas fez curto-circuito e portanto aquele ciclo precisa de reparação técnica. Mas pelo menos já tínhamos energia.
Depois do almoço, a chuva não parava, como não tínhamos mais espaço para por a roupa a secar  minha mãe decidiu que devíamos de ir comprar um estendal. Andámos 10 km e a minha mãe passa numa aparente possa de água que escondia um enorme buraco. Com o embate da jante o pneu rebentou. Fui por o triângulo e uma senhora disse que aquilo estava sempre a acontecer ali, para ligarmos à GNR, porque era a junta de freguesia quem tinha que pagar pelo estrago. Eram 15h20. 
Ligamos, mas os agentes estavam noutro sítio e avisaram que iam demorar. Entretanto a minha mãe ligou a uns amigos para nos virem ajudar com o pneu. Chuvia insesantemente. Ao tentarem mudar o pneu levantaram o carro e o pneu de trás esvaziou. Afinal não tinha sido só o pneu e a jante da frente a sofrerem com o embate, mas o de trás também. Chegou a GNR. Registaram a ocorrência e foram embora. 
Começamos a ligar para a assistência em viagem. Nenhum telemóvel conseguia rede. quando conseguíamos um bocadinho de rede tentávamos um número. Começamos uma série de tentativas falhadas: "caro cliente, por favor, contacte de segunda a sexta feira entre as 10h e as 18h" e "para melhorar a qualidade do seu atendimento, por favor, contacte-nos a partir de um telefone fixo" foram respostas automáticas que tivemos de ouvir. Da próxima vez que tiver um problema no carro, tenho que o agendar para durante um dia da semana de preferência em casa que é para preencher os requisitos da assistêcia em viagem. Toda  a gente sabe que há dias e horários para se ter problemas no carro e que todos eles vêm equipados com um telefone fixo não vá o diabo tece-las. Uma hora depois conseguimos finalmente contactar os senhores para que enviassem um reboque. Ficámos à chuva à espera até às 18h, qundo o reboque finalmente chegou e nos trouxe a casa.
Só quero ver este fim de semana acabar. Amanhã começam s esforços para reparar os danos. Consertar o que ficou para trás, agradecer não ter sido pior e continuar a viver um dia de cada vez.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Tenho a declarar que passei as festas a empanturrar-me e que foi comer até quase vomitar de tão cheia. Como é óbvio nota-se ligeiramente no corpo e portanto talvez esteja na altura de recuperar.
O problema é que no meio das prendas de natal chegaram chocolates e apesar de me andar a controlar imenso, digamos que vai ser muito difícil enquanto houverem bombons a passear por aí...



Ai espírito natalício, espírito natalício, dás cabo de mim. A minha balança já não gosta de ti.

(Nota: este post chega com 3 semanas de atraso porque, por alguma razão, o blog não queria adicionar fotos de maneira nenhuma. Temos pena.)

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O meu primeiro post de 2013 tinha que ser sobre uma coisa que me anima-se muito ahah

Consta que o estado Brasileiro vai financiar 115 mil cursos de línguas, que as prostitutas vão aproveitar para poderem atender devidamente os turistas que vão chegar ao Brasil por causa dos jogos olímpicos e do mundial. 

Sim senhor, gente ínstruida é outra coisa.